Mobirise Website Generator

E mais uma pequena pergunta. Eu trabalhei e trabalhei como um condenado para beneficiar o público, de manhã até à noite, mas mesmo assim eu não consigo pagar os empréstimos. Todos os meus amigos estão na mesma situação.sanguíneos? Hummm, então devemos dar a eles um bônus em dinheiro por isso ou vouchers para uma dieta aprimorada? Eu, por exemplo, construo casas ou faço pão. Inclusive, isso é muito importante. Ele trabalha mais duro do que eu? Não. Então por que ele vive melhor?

Isso é normal? É óbvio que é errada e injusta toda essa escravidão eterna. Mas a quem eu devo dinheiro? Eu devo dinheiro aos bancos, aos vasos sanguíneos, lavando tudo, todas as coisas! Eu não preciso dessa merda de lavação! Resumindo, eles nos fazem de bobos. Só isso. Como sempre. Os banqueiros levam vantagem pelo fato que nós, simples trabalhadores, não temos tempo para pensar nesse esquema complicado, nós temos que alimentar as nossas famílias. É por isso que eles levam vantagem nessa situação e sobem nas nossas costas. Bastardos! Mê de uma arma e eu..........!!

Há dois amigos, Miguel e André. Também imaginemos o senhor Pérez, o banqueiro de Miguel e André, que guarda o dinheiro em seu banco. Miguel quer comprar a bicicleta de André, mas não tem dinheiro suficiente. Tem só 10 reais e André quer 100 por ela. Aqui aparece o problema. O que Miguel faria? Pagaria 10 reais a André e lhe pediria que não vendesse a bike a ninguém, deixa os 10 reais com ele, como depósito, e promete pagar o restante mais tarde. Ao mesmo tempo se dirigiria ao banco do senhor Pérez para pegar a quantia de 90 reais que falta. Não obstante, o negócio do senhor Pérez não vai muito bem mas sabe, perfeitamente, que André tem os 10 reais de Miguel. O que André faria com isso? Por segurança, ele depositaria no banco do senhor Pérez. Por isso, o senhor Pérez pede a Miguel que pague no dia seguinte, esperando que o mais cedo possível receba o dinheiro de André.


No fim, veja o que aconteceu. No dia seguinte André leva seus 10 reais ao banco e o banco, por sua vez, dá o dinheiro a Miguel. Miguel o entrega a André que volta a depositar no banco. E é assim, até que o tolo do Miguel economize bastante dinheiro para comprar a bicicleta.


Confundiram-se um pouco? =) É preciso ter paciência. =) Os demônios nos confundiram por muitos séculos, inclusive os banqueiros e os financiadores.


Então o que temos no final? Miguel finalmente conseguiu a bike de André. (uau! :-)), mas, ao mesmo tempo, Miguel deve 90 reais ao banco (Sr. Pérez) e o banco, por sua vez, deve 100 reais a André.


Em outras palavras, esses 10 reais, que existiram inicialmente, magicamente se transformaram em 200 (R$ 190 de dívidas mais R$ 10 de verdade)!


Mas esses 10 reais poderiam, inclusive, se converter em milhares de reais. Até mesmo em milhões ou bilhões! Se Miguel fizesse uma compra mais cara, nossos 10 reais fariam aumentar a quantidade desses ciclos, circuitos de mãos em mãos. É isso :-)).


Então, o que acontece no mundo de hoje? SOS! Parece que o banco ainda cria o dinheiro, faz aparecer do céu e o multiplica! Não apenas o SRF pode produzir dinheiro, os bancos também! (Na verdade, todo mundo pode fazer isso, menos você e eu. Nós não estamos no negócio dessa vida de “celebração”. Eu gostaria de imprimir ou desenhar dinheiro como quiser :-)). E, de fato, esses bancos multiplicam o dinheiro sem controle algum! E ainda estamos imaginando o porquê do banqueiro viver melhor? Que tolos e ingênuos que nós somos! Agora está explicado. Quem produz o dinheiro, é claro, vive melhor! :-))


Mas isso não é o suficiente! Nesse momento, o pobre Miguel NUNCA será capaz de pagar suas dívidas com o banco! Não importa o quão duro ele trabalhe. Miguel tolo, que não sabe disso ainda, que é um escravo para o banco, entra na escravidão do “crédito para sempre”. Porque esses R$ 90 que ele deve ao senhor Pérez não existem na natureza. Esperto o Sr. Pérez, que criou esse dinheiro do nada; ele o criou do ar! Em apenas um clique, os R$ 10 se converteram em R$ 200.


Sim, mas você pode perceber que o banco deve R$ 100 ao André. E, por sua vez, o banco está no sistema de escravidão dele e não será capaz de pagar as suas dívidas, também, que tem com o próprio André. Então cadê o lucro do banco? Qual é a jogada?

Ahhhh, você perguntou qual é a jogada! A jogada é que, de fato, o banco tem muitos Andrés, milhares e milhões, e eles nunca sacarão todo o dinheiro ao mesmo tempo. Se um André vier, o banco retornará o dinheiro dele a partir de outros dez depositantes, é isso. Isso significa que as dívidas do banco não são perigosas e onerosas. De fato, a dívida do banco é virtual; ela existe apenas no papel ou no programa de computador. Ele nunca será reembolsada de verdade. Apenas em caso de pânico, se os depositantes assustados, repentinamente, vierem pegar seu dinheiro — tudo de uma vez! Você sabe o porquê de os bancos falirem de tempos em tempos? Aqui está o porquê. Porque não há dinheiro suficiente no mundo para todos os depositantes! Existe 90% de ar (dinheiro imaginário) nos cofres bancários. Apenas um nevoeiro lilás :-)).


Assim, o banco não tem problemas. Não precisamos se preocupar com isso. Mas o nosso Miguel tem sérios problemas agora. Ele tem de reembolsar o banco por conta de sua dívida! Completamente! Com propriedades e sanções. Você sabe disso. Ele será forçado a fazer um novo empréstimo para pagar o antigo. E então tudo acontece de novo, e de novo, sem fim, até sua morte! E não há um como dar jeito nesse nó de crédito “correndo”. Não existe, em princípio! É isso! A armadilha funcionou. Agora Miguel é um devedor perpétuo. Ele é um escravo. De agora em diante, ele irá trabalhar, trabalhar e trabalhar para o banco...Até ele morrer. E, mesmo assim, ainda não pagará as dívidas. Depois de sua morte, seus filhos e bisnetos irão trabalhar para esse mesmo banco. Todos eles são futuros escravos do banco. Mais precisamente, eles são escravos desse monstruoso e canibal sistema financeiro global, que gerou esse cruel e desumano mecanismo, que precisa ser destruído.


Por que os bancos te cobram coisas ao realizarem um empréstimo? Você já se perguntou sobre isso? A cobiça sempre foi condenada e desprezada em todos os tempos e em todas as nações. Mas agora essa é a lei. Um empresário faz um empréstimo bancário. Por que eles querem as coisas dele? Ele quer criar algo útil para a sociedade, para a sociedade inteira, inclusive para os banqueiros. Ele tem que ser encorajado e receber privilégios por aquilo, em vez de ter sua pele arrancada.

Mas os bancos de hoje não foram criados para isso. As propriedades da sociedade não são importantes para eles; os bancos tomam cuidado apenas dos lucros financeiros e dos benefícios próprios. Eles não se preocupam com as pessoas. Os bancos de hoje são fiéis servos da Reserva Federal; eles são gananciosos e ávidos sanguessugas, pequenos vampiros a serviço de um gigante e maldoso monstro, moderno conde Drácula, que mergulhou o mundo inteiro na escravidão financeira, e ele suga e suga o nosso sangue. E ele continuará a sugar o sangue de nossos filhos e nossos bisnetos, se não o pararmos e o destruirmos. Martele uma estaca em todos os bancos, e não se esqueça das balas de prata! Apocalipse! Apenas Apocalipse Financeiro! Nós não temos outra escolha. Nós não somos escravos. Nós somos pessoas e escolhemos a Liberdade!